Brasileiros acessaram quase 3 milhões de Fake News no primeiro trimestre de 2018

Segundo Relatório da PSafe, que lançou em 2017 o seu laboratório de segurança especializado no combate ao cibercrime e em defesa da proteção da liberdade digital do internauta, o “dfndr lab”,  que retrata o panorama atual de ciberataques via links maliciosos no Brasil, os números do primeiro trimestre de 2018 revelam crescimentos significativos em determinadas categorias de ataques dos cibercriminosos aos usuários da internet.

Um aumento de 11,97% comparado ao quarto trimestre de 2017, de acessos a notícias falsas “Fake News”, no total de 2,9 milhões nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2018.

Muitas empresas são alvos de notícias, vídeos e “virais” negativos que podem prejudicar a imagem do nome e dos produtos de uma corporação em questão de minutos.

As empresas devem tomar medidas conjuntas para que o problema seja sanado, tais como ações administrativas, judiciais e midiáticas, pois no “ciberespaço” a informação se propaga muito rápida e as ações devem ser tomadas o mais breve possível.

A ação administrativa se concentra no levantamento de informações para a tomada de decisão, a midiática deve ocorrer rapidamente na sequência com uma resposta clara e objetiva que diminua os impactos financeiros e de imagem, e por fim a medida judicial, que é a mais importante, ela garante os direitos da corporação e pune os autores dos “fake news” conforme a lei.

Redação Graça Advogados com informações da psafe.com.

Clique aqui para baixar o relatório completo.